Os Bufalos  
História
Quem são os Búfalos!
Arena - Terrão
Arena - Sabão
Arena - Parque da Previdência
Arena - Camila Freestile
Arena - Igreja dos Mórmons
Arena - Praião
Arquivos
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Julho 2009
Janeiro 2011
Novembro 2011
Março 2012

Estatisticas
Technorati Profile
Add to Technorati Favorites
Google PageRank Checker Tool
Internet Blogs - Blog Top Sites
web hit counter
Estatisticas do Blog
Links
GameReporter.org
Divulgue
Búfalos Brancos
 
 
HAMBURGER - Texto sobre Hamburguer de um blog



Eu achei bem interessante e resolvi postá-lo aqui para compartilhar com meus amigos de Bufalagem....



O hamburguer
Publicado on March 1, 2007

Eu adoro hamburguer. Os hamburguers deviam estar na categoria “cão” entre os alimentos, ao lado do churrasquinho -olha a ironia - de gato, o “podrão” - Aqueles cachorros quentes “com tudo que tem direito” e a pizza, como os melhores amigos do homem.
Eu posso até supor que o hamburguer está para a comida como o uísque, o famoso “cão engarrafado” está para a bebida. Ao menos na concepção do poetinha.

Quando eu voltava da noitada era lei bater um hamburgão e depois dormir feito jumento na sombra da igreja até o meio dia seguinte. Bons tempos aqueles.
Deixei de ir para a noitada, fiquei mais velho, mas continuo fiel ao hamburger.
Engorda? Engorda. Faz mal? Não.
O hambúguer não faz mal, gente. Isso é mentira.
Eu mesmo vi na Tv uma nu-nu-nu-tri-tri-cioniiiiiista dizer que até o sanduíche-iche pode ter um valor nu-nu-nu-tri-tricional adequado.

O importante é saber que sanduíche escolher. Nos Estados Unidos, a coisa é ainda pior. Devido ao gigantesco, digo, pornográficamente descomunal número de lojas de fastfood, não há como saber se você está desperdiçando sua vida comendo porcaria e só aos 99 anos vai descobrir o melhor hambúrguer da Terra. Ou talvez nem isso.
Aqui em “terris brazilis” é levemente mais fácil devido ao pequeno número de cadeias de lojas. Claro que isso não te impede de ir a novos lugares e comer hamburgueres da trocentas milhares de lojinhas de suco que pululam nos grandes centros, sobretudo nas cidades litorâneas como a minha.
E uma vez decidido onde comer, chega a hora de optar por qual dois 999.999 tipos de sanduíches especiais. Pão árabe? Pão comum? Pão franês? Carne de boi? Frango? Peixe? Queijo Cheddar? Queijo prato? Sem queijo?
Sim, escolher um sanduba não é tarefa fácil. Uma série de decisões são tomadas em frações de segundo antes de pedirmos “o de sempre” ou “promoção numero um”.
Tá certo que eu não sou um “hamburgólogo“, mas vou compartilhar com vocês minhas impressões sobre um bom sanduíche.

- Pão.
Pão é uma das coisas mais importantes na hora de optar por um sanduíche. O sanduíche não pode ser feito em pão velho, em pão “desmilinguento”, tipo aqueles que tem uma liga fraca e começam a desmanchar antes de você levá-lo à boca, provocando uma situação deveras constrangedora de você se babar todo com mostarda e maionese. Ou ainda pior, o tomate pode fatalmente dar um salto para fora do guardanapo indo parar bem no meio daquela sua (cara) camisa de ir para a balada.
Um pão eficiente é aquele que é grande o bastante para abrigar em si a alma do sanduíche e os demais elementos, algo como os órgãos internos dele.
Veja, um pão saboroso contribui para um bom sanduíche como a beleza contribui para uma mulher.
Desculpem os hamburgueres ruins, mas pão decente é fundamental!
O pão pode ter gergelim ou não. Pessoalmente, eu acho gergelim legal. Mas dispensável. É como ter um cinzeiro na sua motocicleta. Não é útil, mas enfeita.
O segredo aqui está em não colocar o pão frio no sanduba. Esquente-o numa chapa antes.

- Carne
Sem a carne, o sanduíche não é mais que um pão com maionese. - O que não deixa de ser algo gostoso, lógico. Mas a carne é o que eu chamo de “alma” num bom sanduíche. Ela pode ser de boi, de coisa ou de frango. Pode ser ainda de peixe processada, pode ser filé ou até dezenas de fatias de presunto empilhadas. O importante é que seja de primeira.
A carne quando tá meio passada, ( verde ou com coisinhas vivas que você possa ver a olho nú) não dá um bom sabor ao sanduíche. Particularmente, eu gosto muito de um sanduíche feito com filé. O filé é cortado em bifes.

O segredo do bom sanduíche com filé é que você não pode ingênuamente enfiar o filé inteiro na chapa e colocar no pão. Isso provoca o efeito colateral constrangedor máximo, que é arrancar toda a carne de dentro do pão de uma só vez. E como será mais carne do que sua boca é capaz de abrigar, você parecerá um cachorro com seqüela dos miolos, com aquela enorme língua babando catchup na mesa. Por estes motivos, eu nunca recomendo que você leve a garota para comer sanduba no primeiro encontro.

O segredo está no preparo da carne. Pegue o bifão e corte de leve sobre ele linhas verticais paralelas. Em seguida, vire-o e corte linhas paralelas horizontais.
Fazendo isso, você gera uma espécie de treliça de corte no filé. Se você faz direito, o filé não se despedaçará, mas ficará facilmente arrebentável em pequenos pedacinhos.
Há aqueles que preferem os hamburgueres de carne moída. Os mais comuns. Este tipo de carne que passou a dar nome ao sanduíche de pão e carne, é geralmente feito com uma mistura de ingredientes bem menos nojentos que a Salsicha. Um deles é o pão, que é espremido com a carne moída de boa qualidade e empaçocado numa massa compacta. os puristas preferem fazer eles mesmos a carne do hamburguer. Já os mais práticos são adeptos das embalagens tipo Sadia, que vem com 12 unidades. Eu não gosto muito. Prefiro a carne tipo “feita-em-casa” que eu compro no Carrefour.
Das caixinhas, as marcas Perdigão, Seara e Sadia são legais, embora eu prefira carne de filé. Algumas marcas de origem duvidosa são muito comuns de se ver nas promoções dos mercados. Estas geralmente são mais arriscadas. Uma vez eu comi uma porra dessas e quase chamei o Raul antes de botar para dentro. Cuidado especial é necessário com a carne de frango processada. ( imagina o caldo nauseabundo de cabeça de galinha triturada pra fazer isso… EEEEWWWW!) O de peixe nunca funcionou comigo. Sempre queima pelo lado de fora e fica crua por dentro.

A salada -
A salada é algo polêmico. Nem sempre um bom sanduíche precisa conter salada. Em Três Rios, cidade do interior onde eu desperdicei passei minha adolescência, é inconcebível alguém te vender um hamburguer de carne e pão. Isso sôa por lá como a maior mesquinharia do universo.
Acabei introjetando esta idéia e apesar de saber que o sanduíche real é apenas de carne e pão, um bom sanduba pra mim deve conter pelo menos uma rodela de tomate e alface.

O tomate e o alface funcionam como o cinto de segurança num carro. Você sabe que se porrar a cem por hora de frente com uma scânia, vai morrer, mas aquele pequeno pedaço de nylon trançado apertando seu peito funciona como um alívio psicológico. O tomate engana seus miolos de que nem tudo ali faz mal.
De fato, quanto mais alface e tomate tiver, dependendo de onde eles vem, podem ser prejudiciais a sua saúde devido aos agrotóxicos. Algo chamado diclorodifeniltricloroetano, não deve ser bom para a saúde, certo? Certo.
O alface pode ser japonês ou padrão. O japonês é bonitinho. Meio sarará. Dá um belo efeito visual. Ele pode ser colocado em folha inteira sobre o bife ou cortado em centenas de fiapinhos.
Eu gosto dos dois jeitos. Os do Mc donalds são cortados. Eu acho que vem muito. Sempre cai pelos arredores e a mesa fica parecendo que uma vara de porcos rangou ali. Acho que foi por isso que eles inventaram aquelas bandejas com ilustrações no papel. Você fica olhando as ilustrações e vai comendo cada alface que cai. Porque sempre cai.
O alface do Mc Donalds é legal porque não tem sabor. parece de plástico. Já me perguntei varias vezes como eles conseguem fazer um alface branco, feito 99% de talos sem sabor, mas nunca descobri como.
Cortado também tem o problema que o alface gruda no dente mais fácil, fazendo do seu primeiro encontro na lanchonete algo memorável. Pelo menos para você.

Alguns lugares colocam cebola. Eu não curto muito. Sobretudo a cebola crua. Ela tira o brilho do hamburguer. Parece que é uma orquestra com um violino fora do tom. Você sente que tem algo errado e quando vai procurar, é a cebola.
Já picles eu gosto. Mas não é algo comum no Brasil. Pelo menos nos que eu como por aí.

Queijo
O queijo é parte da magia de um sanduba. O excesso de queijo deixa o sanduba com sabor de leite. O que tira o brilho dele. isso acontece com aquele hamburguer grandão do Mc Donalds. Os queijos são fortes e você começa a perceber que eles querem atenção das suas papilas mais do que seria ideal.
O bom queijo é aquele que derrete e fica gostoso sem ficar gordurento. Nada pode ser pior que comer um sanduba e ficar pingando aquela gordura. parece até propaganda do Grill do George Forman. Pra isso é que se criou a máxima de que “A ignorância é uma bênção”. Prefiro comer aquele óleo do que vê-lo escorrendo pelos meus braços.

Ovos e bacon
Ovos e bacon são dois elementos que dão um brilho a mais. Em geral são aqueles complementos que você sente dó na consciência de incluir. Seu colesterol vai subir como se tivesse tomado Viagra, mas vale a pena. O bacon também dá uma graça. O problema com ele é que sempre colocam demais. E fritam demais também. Daí ele começa a dar gosto de queimado no seu sanduba. O problema do ovo e do bacon é que eles dois ocupam muito volume. E assim, colocados no interior do seu sanduíche, eles vão invariavelmente arreganhá-lo. Isso deixará mais fácil que ele se quebre, espatife ou desmilingue nas suas mãos e roupas. Só inclua se o pão for ótimo.

Abacaxi -
Eu sei que tem gente que aprecia o súbito sabor agridoce provocado por uma discreta fatia de abacaxi no sanduíche. Em geral, este tipo de sanduíche vem com nomes como tropicalburguer, naturalburgeur, jovemburguer. Como se o abacaxi pudesse dar uma inovada, uma remexida, uma graça fashion no sanduíche. Talvez dê.
Pessoalmente, eu acho viadagem isso de botar abacaxi no sanduíche. Mas tem quem goste. Realmente, é bem como viadagem mesmo, hehehe.

Molho especial -
O ponto nevrálgico das discussões sobre um bom hambúrguer passam pelo segredo industrial dos molhos especiais.
Uma vez comi um sanduíche tão bom da Wendy´s nos Estados Unidos que me lembro com saudades do molho especial até hoje. O Bob´s tem um bom molho especial e o Mc Donald´s também.
Molhos especiais são segredos de estado, guardados a sete chaves por gerações.
Na maioria dos casos, o único componente conhecido neles é a maionese. O resto pode ser tudo que você imaginar. Mas o que vale é que são deliciosos - na maioria das vezes.

Estrutura -
Isso não faz parte do sanduíche mas não posso deixar de comentar. Comer bem é uma arte. Até o fast food pode ser apreciado com um certo grau mínimo de requinte. Então, temos dois grandes grupos aqui. As multinacionais da comidaria como o Mc Donald´s, o Burguer King, o Subway, etc.
E temos o trailer do Zé da esquina, as lanchonetes de sucos naturais do seu bairro e etc.
Os primeiros oferecem mesas, musica, bandejas, caixinhas e até mesmo internet.
Os demais não costumam oferecer nada além do clássico saquinho de papel fino que envolve seu sanduba.
Isso não é tão ruim.
O maior problema é o guardanapo. Antigamente o Mc Donald´s era bem mais relaxado com os guardanapos. Agora numa linda demonstração de adequação aos mesquinhos padrões Brasileiros, eles envelopam duas míseras folhas de guardanapo fino num saquinho de plástico com a desculpa velada de que é mais “higiênico”. Porém eu gostava mais quando eles estavam gigantescamente estendidos em bolos compactos naquela caixa self service e você tinha que tirar uns vinte para pegar e usar apenas dois.
Um desperdício, você vai dizer. Desperdício? Você realmente acredita que não está incluindo uma SACO de guardanapos gigantes no preço do seu sanduba? Você acha que eles DÃO alguma coisa grátis? A verdade é que o Mc Donald´s oferecia mais qualidade antes. Agora eles oferecem a comodidade higiênica ( comodidade deles e higiene para nós) na foram dos saquinhos de guardanapo.
No outro time, as lanchonetes de bairro oferecem quantos guardanapos você quiser. Minto. Oferecem tantos quantos guardanapos você conseguir extrair daquelas máquinas do diabo.
Eu acho que só uma única vez em todos os meus 31 anos consegui tirar um guardanapo inteiro sem amassar ou rasgar daquele treco. Queria conhecer quem criou aquele desenho de aparelho. ( pra dar um murro!)
As multinacionais da comidaria dão caixinhas de papelão com seu hamburguer belamente acondicionados. Isso na propaganda. No mundo real, os sandubas estão colados no fundo. Nunca entendi como eles colam no fundo.
Ainda bem que agora as caixinhas são de papelão. Antes elas eram de isopor. Algo nada ecológico.

Bom, o ideal é que a loja ou o trailer ofereça ao menos um pratinho com guardanapos ou bandeja, e ainda um saquinho para manter aquele creme do molho especial contido.
Particularmente eu gosto muito de um sanduíche do Ponto Jovem. Ele se chama Mignon ao Catupiry. Dá água na boca de imaginar. Troco qualquer rede de fastfood pelo bom e velho PJ.
Quando vier a Niterói, passe na Praia de Icaraí e experimente que eu garanto que você vai gostar.

Você sabia que o nome sanduíche vem de Sandwich, que era o sobrenome de um lorde inglês fanático por jogos? Ele era um viciado em jogar ao ponto em que parou de comer. Vendo que o padrão estava em vias de morrer de inanição só jogando, o mordomo criou um alimento fácil de comer, que não requeria nenhum preparo especial. Era pão com uma carne dentro.
Logo a novidade se espalhou e o prato de comida rápida ganhou o nome do lorde inglês. Sacanagem. Acho devia ter sido batizado com o nome do mordomo.

Este aqui é o maior sanduíche do mundo. Ele é um bitelo que desbancou o maior sanduíche existente até então, que era da Tailândia e que pesava nada menos que 47kg e meio.
O campeão agora pesa nada menos que 56 kg de puro sanduba onde 13 kg são de pão, 36kg de carne da melhor qualidade, 12 tomates inteiros e 160 fatias de queijo além de um pé de alface inteiro além de 5 cebolas.
O bichão custa 379 dolares. E o criador é o famoso Danny.
Site do Danny


FONTE: BLOG MUNDO GUMP http://www.mundogump.com.br/2007/03/01/o-hamburguer/

----------------------------------------------------------------------------------
Pá finalizar, um teste bem nojento com as batatas do Mc Donalds, que não estragam nunca...Cuidado para não terem vontade de vomitar...
O cara deixou 10 SEMANAS alguns sanduíches e batatas do Mc Donalds em potes de vidro para ver o que acontece... vc verão o que realmente significa HIGHLANDER...

BATATAS MACABRAS


Postado por SEIXÃO, o Kaura em sábado, dezembro 08, 200712/08/2007 12:43:00 AM |

vixe!!!
que horror esses lanches.... bom nao lembrar deles ao dar uma sapida ae pro mc!

e as batatas sao empalhadas naquele óleo... impossível rsrsr

Postado por Blogger Xota Xota | domingo, dezembro 09, 2007 1:22:00 PM

TA MO FAJUTO ESSA NOTICIA O MAIOR LANCHE DO MUNDO É O TREM BÃO DE SÃO CARLOS PÉSA 60KG.

XUPA USA!!!!

Postado por Anonymous GABRIEL | domingo, dezembro 09, 2007 9:08:00 PM

Obrigado por postar meu texto, cara. Valeu

Postado por Blogger Philipe | sexta-feira, janeiro 04, 2008 10:43:00 AM

Postar um comentário